MICROLITÍASE TESTICULAR E RISCO DE CÂNCER

MICROLITÍASE TESTICULAR E RISCO DE CÂNCER

Recebemos um e-mail de uma mãe cujo filho apresentou, segundo suas palavras,  “ um carcinoma   embrionário (maligno) no testículo há 2 dois anos, foi operado, sendo feita  retirada total do testículo esquerdo,e faz acompanhamento, sem precisar se  submeterá tratamento. No mês de setembro 2010,através de ecografia, foi  identificado microlitíase no testículo direito. Estou com muitas dúvidas a  respeito do que pode acontecer. Se puder me ajudar com alguma informação,  ficaria muito feliz. Obrigada pela atenção.”

Nossa resposta transcrevemos abaixo.

Prezada mãe:

O câncer de testículo corresponde a apenas 1% de todos os tumores no homem  e é  bilateral em 2-3% dos casos. Embora a maioria dos tumores de testículo seja unilateral, o que permite preservar o outro testículo (denominada  conduta  conservadora  em medicina), quando há Tumor em um dos testículos, o risco de haver desenvolvimento do câncer no outro testículo ao longo dos  anos de acompanhamento  é de 8% (4 vezes maior do que quando é feito o diagnóstico inicial ). A microlitíase testicular está associada a tumor de células germinativa concomitante em até 40% dos casos no acompanhamento desses casos e não existe tratamento preventivo para os portadores desta patologia. Mas é importantíssimo que sejam realizados seguimentos periódicos de longo prazo para rastrear o aparecimento de qualquer indício de tumor no testículo que restou. Gostaria que conversasse com seu médico para que ele oriente seu filho. Cuidando corretamente a doença estará sob controle. O diagnóstico precoce é a chave. 

 

Ilustração publicada na Radiol Bras vol.40 no.1 São Paulo Jan./Feb. 2007

Referências Bibliográficas

  1. Bach AM e col: Is There na increased incidence of contralateral testicular cancer in patients with intratesticular microlithiasis? AJRbAm. J Roentgenol. 180: 497-5000, 2003
  2. Huyghe e col: Increasing Incidence of Testicular cancer worldwide: a review. J Urol 170;5-11, 2003
  3. Patel MI e col: Managmentof recurrence and follow-up strategies for patients with seminoma and selected high-risk groups. Urol Clin North Am. 30:803-17,2003
  4. Kocaoglu M e col: Testicular microlithiasis in pediatric age group: ultrasonography findings and literature review. Diagn Interv Radiol 11: 60-5, 2005

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s